oficina
O que os concluintes têm a dizer sobre o curso?
Ana Paula Queiroz Ribeiro
Ana Paula Queiroz Ribeiro

“Achei o curso ótimo, principalmente para os pais.”

Camila Cinto Lima
Camila Cinto Lima

“O curso me ajudou a compreender melhor o meio das drogas e como lidar com as situações advindas deste mundo, além de contribuir para o meu meio laboral.”

Katja Stout
Katja Stout

“Este curso explora uma problemática que vem aumentando muito, a questão do uso das Drogas, cada vez mais cedo; é um tema que precisa ser abordado mais a fundo, como um fator maior de proteção, ou seja reforçar mais a prevenção e não apenas o tratamento; Sugiro que continuem com a temática, abrangendo todo o contexto comunitário ( Saúde, Educação, Assistência Social...), para abranger as áreas de atuação. Muito obrigada, o conteúdo contribuiu muito para a minha reflexão, tanto profissional quant

Monike Freitas
Monike Freitas

“Parabéns pelo excelente curso apresentado. Contribuindo pessoalmente e profissionalmente em minha vida. Grata. Amei estar com vocês.”

Simone Florêncio de Souza
Simone Florêncio de Souza

“O curso foi ótimo pelos depoimentos reais. Adquiri mais conhecimento para melhor desempenhar meu trabalho, esse curso foi muito bom também porque mesmo nós profissionais as vezes não sabemos educar nossos filhos.”

Aparecida Donizete Aguiar Angels
Aparecida Donizete Aguiar Angels

“Muito bom, pretendo passar para outras pessoas.”

Renata Plixo
Renata Plixo

O curso veio de encontro com minhas expectativas.”

Alessandra Miranda
Alessandra Miranda

“Eu fiz este curso através de uma amiga que postou o link no grupo de trabalho, falando que tinha feito e que era muito bom , de início achei que iria fazer pelo diploma, mas quando comecei a fazer , me surpreendi com tantos ensinamentos , adquirido que não tinha noção de quanto aprendizado, ainda estava por vir , com certeza vou compartilhar com todos obrigada Deus abençoe vocês grandemente abraços a todos.”

Natasha Oliveira
Natasha Oliveira

“O curso me aprofundou muito mais, não só em relação ao uso de substância psicoativa, mas também sobre a relação pais/filhos e sobre a abordagem deste tema na adolescência. Foi bem importante dialogar nos fóruns de discussão.”